Starting from a basic circuit using Arduino, the artist made some circuit bendings, adding some components and testing various ways of connection among them. The result is as audiovisual instrument where audio and image feedback themselves, generating unusual sounds and animations. As the instrument is connected to an analog TV, sound output generates different types of noise according to the programmed animation and to the size of the shapes on screen. Sound interferes in the image as each audio pulse also goes to the video output, changing what is displayed on the screen.

The circuit was inserted in a wooden box and named ‘Glitchy Square’ – an homage to the famous painting ‘Black Square’, by Russian painter Malevich, who tried to reach the limits of (non)representation and this painting would be, according to him, the maximum of the non objectivity.

This instrument adds movement and sound to this idea and seeks the sensations of non objectivity. Images receive influence from sounds and the other way around, and the fundamental elements of the circuit (current, tension, etc) generate the content.

‘Glitchy square’ is an autonomous object that plays sounds and images without the need of a computer. It only needs to be connected to a TV or projector. For each TV, a different result is achieved, because of the way each TV receives and deal with the signal it gets on the input.

For exhibiting the work, the instrument is put on a desk and a video with the documentation and explanation about its operation is exhibited on a video projection. In this video, the artist presents also an audiovisual composition created using exclusively sounds and images generated by the instrument.

Time: 6.40 minutes | Year: 2011

———————————————————————————————————————–

A partir de um circuito básico usando arduino, fiz um circuit bending acrescentando alguns componentes e testando vários tipos de ligação entre eles. O resultado é um instrumento audiovisual onde áudio e imagem se retroalimentam, gerando animações e sons inusitados, sem muito controle do resultado. Ligando o instrumento a uma TV, as imagens geram ruídos de acordo com a animação e o tamanho das formas. O som interfere na imagem na medida em que cada pulso de áudio vai também para a saída de vídeo, alterando o que é exibido na tela.

O circuito foi inserido em uma caixa de madeira à qual dei o nome de Glitchy Square, um objeto autônomo que gera sons e imagens sem a necessidade de um computador. Ele pode conectado diretamente a uma TV ou projetor. O interessante é que para cada TV o resultado é completamente diferente, devido ao modo como cada TV recebe o sinal em sua entrada.

O nome Glitchy Square é uma homenagem ao famoso quadro ‘Black Square’, do pintor russo Malevich. Ele tentava chegar aos limites da (não)representação e este quadro seria, segundo ele, o máximo da não objetividade.
O objeto acrescenta movimento e som a esta ideia e busca as sensações da não objetividade. As imagens recebem interferência dos sons e vice-versa, e os elementos fundamentais do circuito (corrente, tensão, etc) geram o conteúdo.

Na exibição da obra, é colocado o instrumento em uma mesa e o vídeo com a documentação e explicação do seu funcionamento é exibido através de uma projeção. Neste vídeo também apresento uma composição audiovisual criada usando exclusivamente os sons e imagens gerados pelo instrumento.

Duração: 6.40 minutes | Year: 2011

Deixe uma resposta

Recent Posts